FERRO DE SOLDA

O ferro de solda é uma ferramenta elétrica que transforma corrente elétrica em calor, o qual é transferido para uma ponta metálica.

O calor é utilizado para fundir uma liga metálica de estanho e chumbo, realizando a junção de partes metálicas, principalmente de cobre. Esta liga é conhecida popularmente como solda ou, simplesmente, estanho.

O processo de soldagem é extremamente importante na construção e manutenção de circuitos eletrônicos, sendo de suma importância o domínio correto da técnica.

Os ferros de solda possuem diversos formatos e potências. Os mais empregados em eletrônica são os do tipo "lápis", com potências entre 30 e 60W, conforme a figura abaixo:
Para a soldagem de componentes eletrônicos mais delicados ou de menor tamanho, deve-se utilizar um ferro de solda de 30W. Por outro lado, para a realização de soldas em fios condutores, chassis ou componentes de maior porte, deve-se optar por um modelo com maior potência.

Existem também outros tipos de ferro de solda, como é o caso da pistola e da machadinha:
Estes possuem potência bem maior e não podem ser utilizados para soldar componentes eletrônicos.

Um equipamento muito utilizado em soldas eletrônicas é a chamada estação de solda. Ela nada mais é do que um ferro de solda com potência ajustável, juntamente com uma base que serve de suporte para o ferro.

A figura a seguir é uma imagem de uma estação de solda da marca Toyo®.
Algumas dicas são importantes na hora de realizar uma soldagem:

1. Certifique-se que as superfícies a serem unidas pela solda estão limpas. Os componentes antigos acumulam uma fina camada de óxido que dificulta a soldagem. Pode-se esfregar as superfícies com um pedaço de esponja de aço, tomando-se o cuidado de não deixar que os fiapos provoquem curto-circuito em outros locais do circuito.

2. O ferro de solda deve estar com a ponta limpa (utilizar esponja de aço se necessário) e quente o suficiente para derreter o estanho com facilidade. Temperaturas baixas produzirão as chamadas soldas frias, de péssima qualidade.

3. As superfícies ou componentes a serem soldados podem ser previamente "estanhados" e, em seguida, unidos com uma quantidade maior de solda. Também pode-se optar por unir firmemente as partes e aplicar sobre elas o estanho, pressionando o conjunto com a ponta do ferro de solda.

4. Aguarde alguns instantes antes de soltar as partes recém-soldadas, para ter certeza de que a liga metálica se solidificou totalmente.

5. Uma solda bem feita deve conter uma quantidade mediana de estanho, apenas o suficiente para cobrir a junção entre as superfícies e/ou componentes. Também deverá ser lisa e brilhante, pois solda rugosa ou opaca é sinal de "solda fria".

6. Cuidado para não deixar o ferro de solda em contato por muito tempo com as superfícies ou componentes, pois o calor excessivo causará danos irreversíveis principalmente em componentes eletrônicos. O tempo de contato para componentes de menor porte não pode ser maior que um ou dois segundos.

A prática é o caminho da perfeição. Não se preocupe se suas primeiras soldas não saírem conforme o esperado.

As marcas Fame e Toyo são registradas e pertencem aos seus respectivos representantes legais.
Eletrônica Didática
Um jeito fácil de aprender Eletrônica