MULTÍMETRO ANALÓGICO

É constituído basicamente por um galvanômetro, ao qual é associado um circuito com elementos selecionados de acordo com a função desejada para o instrumento de medida.

Um galvanômetro nada mais é do que um aparelho medidor de corrente elétrica, cuja agulha sofre uma deflexão (desvio) proporcional à corrente que flui por sua bobina. Uma mola tende a manter a agulha em uma posição original, a qual é alterada pela interação entre o campo magnético de ímãs permanentes e da bobina energizada.

Foram os primeiros tipos de multímetros inventados, no início da década de 1920, quando os receptores de rádio e aparelhos valvulados se tornaram mais comuns. A invenção do primeiro multímetro é atribuída ao engenheiro dos correios norte-americanos Donald Macadie, ao qual desagradava a idéia de ter de carregar diversos instrumentos separadamente. Sua invenção era capaz de medir tensões, correntes e resistências.
Desenho esquemático e imagem de um galvanômetro didático.
Oitava edição do primeiro tipo de multímetro inventado.
Para a maioria das aplicações, possuem características inferiores os multímetros digitais. Sua resolução é limitada pela largura e vibração do ponteiro, além de apresentar uma visualização mais difícil dos valores medidos. Geralmente, sua precisão fica em torno de 3%, enquanto que a dos multímetros digitais padrão pode chegar a 0,5%.

Em alguns casos, contudo, os multímetros analógicos apresentam vantagem, pois possuem uma resposta mais rápida à variação das grandezas medidas e menor susceptibilidade a interferências.


MODO DE OPERAÇÃO

Os multímetros analógicos atuais são semelhantes ao modelo da figura abaixo.
Possui dois bornes principais denominados -COM e +, aos quais deverão ser conectadas as pontas de prova preta e vermelha, respectivamente. Dependendo do modelo haverá um ou mais bornes adicionais com funções específicas, porém, de menor utilidade. A não ser que o manual do aparelho especifique o contrário, a ponta de prova preta sempre será conectada no borne COM, sendo que a ponta vermelha é utilizada nos demais bornes. No caso do modelo ao lado, o borne OUTPUT é utilizado para medir decibéis.

Um multímetro padrão será capaz de medir tensão contínua e alternada, corrente contínua e resistência. Medições de corrente alternada geralmente são contempladas apenas por multímetros mais caros.

A grandeza a ser medida é selecionada girando a chave seletora. Durante uma medição, jamais modifique a posição da chave seletora. Sempre desconecte o multímetro primeiro.

Observando a figura à esquerda, verificam-se os seguintes grupos de medidas: DCV, ACV, DCmA e Ω.

O grupo DCV é empregado para medir tensões contínuas e possui escala de 0,1V a 1000V.

O grupo ACV é utilizado em medições de tensão alternada e possui escala de 10V a 1000V.

O grupo DCmA deve ser selecionado para que sejam medidas correntes contínuas na escala de 50μA até no máximo 0,25A (250mA).

Por fim, o grupo representado pelo símbolo Ω é utilizado para medir resistências de 0 até 2MΩ.

Os valores das escalas de tensão e corrente representam a magnitude máxima que poderá ser medida pelo aparelho. A medida de um valor acima do máximo representado na escala poderá fatalmente danificar o instrumento ou, no mínimo, queimar o seu fusível de proteção.

Os números expressos na escala de resistências não representam valores máximos, mas sim fatores multiplicativos que devem ser aplicados ao valor observado no mostrador do aparelho.

Para realizar uma medida, deve-se escolher um valor de escala igual ou superior ao que será medido. Quando o valor a ser medido for totalmente desconhecido, seleciona-se o maior valor da escala correspondente e, posteriormente, diminui esse valor para se obter uma melhor visualização da grandeza. Por exemplo: deseja-se medir a tensão da rede elétrica local (110V ou 220V). A escala adequada será a de 250 ACV. A escolha de uma escala de medida inferior ao valor a ser mensurado, no caso de tensões e correntes, poderá provocar a queima do fusível do proteção ou mesmo do aparelho. Por isso, em caso de dúvidas, escolha o maior valor da escala. Lembre-se também de não mudar a posição da chave seletora durante uma medição; desconecte o multímetro primeiro.

Medidas de tensão e resistência são feitas em paralelo com o componente ou circuito a ser medido, enquanto que medidas de corrente devem ser realizadas sempre em série com o circuito. Uma conexão em paralelo para medição de corrente provocará danos ao multímetro. Além disso, para a medição de resistência, o componente ou aparelho devem estar desenergizados, sob pena que danificar o instrumento de medida.
Eletrônica Didática
Um jeito fácil de aprender Eletrônica